Metalmatrix

Notícias

Abraçadeiras no espaço: como são construídas as naves espaciais da NASA

09 de Jan de 2020

20 de julho de 1969: essa data trouxe para o repertório da população a icônica frase “um pequeno passo para o homem, mas um salto gigantesco para a humanidade”. Na Lua, durante a Missão Apolo 11, o astronauta Neil Armstrong deixava a sua pegada no satélite natural – o primeiro na história. Na Terra, milhões de pessoas acompanhavam o feito pela televisão. 

Desde então, as viagens espaciais se tornaram comuns e já não causam assombro. A frequência desse tipo de expedição não é injustificada: além de o espaço ainda ser um interessante e imenso objeto de estudo, a engenharia por trás dos foguetes que levam seres humanos até lá foi cada vez mais aprimorada. 


E por que nós estamos falando sobre isso? 

O Dia do Astronauta é comemorado no dia 9 de janeiro. Tal data nos faz lembrar de um fato que, à primeira vista, parece apenas um mero detalhe, mas que, diante do todo, faz grande diferença: você sabia que a NASA usa abraçadeiras na construção de seus foguetes? Construção essa, inclusive, que deve ser feita de maneira extremamente complexa.

No espaço, as condições encontradas distinguem-se das que a Terra oferece. É preciso que o foguete utilizado resista, por exemplo, ao vácuo e às extremas variações de temperatura. Quando esses veículos espaciais estão no espaço, inclusive, eles nem sequer comportam-se como objetos terrestres: lá, a lei obedecida é a mesma que rege os corpos celestes.

O processo de construção de um foguete é tão trabalhoso que pode durar até oito anos, afinal, antes do lançamento, é preciso que o veículo passe por inúmeros testes que garantem a sua resistência ao espaço. Para que as naves atravessem todos os quilômetros de atmosfera, cheguem ao vácuo e entrem em órbita, é necessário muita força e uma velocidade de 27.000km/h. 

Além disso, antes mesmo de entrar no espaço esses foguetes devem ser resistentes, uma vez que os lançadores emitem vibrações intensas. Não somente esse tipo de impacto, o calor também é uma condição que deve ser avaliada e superada. Os motores podem atingir cerca de 3000ºC e, para que esses gases não interfiram no funcionamento da nave, é preciso uma estrutura que a proteja. 

Todas essas informações nos ajudam a compreender a dimensão e a importância de todo o cuidado na construção de naves espaciais. Por consequência, nos auxilia a perceber como as abraçadeiras, muitas vezes invisíveis quando estamos diante de uma grande máquina, são fundamentais para que estas sejam úteis e seguras, seja aqui na Terra ou no espaço. Gostou desse texto? Você pode ler mais conteúdos como esse clicando aqui.

Conheça

nosso canal no youtube

Clique aqui e acesse agora
{

Confira nossos

representantes

espalhados
por todo o Brasil